top of page

SAÚDE MENTAL

DEPRESSÃO

Depressão é uma doença psiquiátrica extremamente séria que afeta muitas pessoas no Brasil e no mundo.  

Pode desencadear sintomas leves, moderados e graves que afetam tanto o psicológico, quanto o físico.  

Felizmente, é uma condição tratável.  
 

O QUE É DEPRESSÃO? 

Para definir a depressão, precisamos dividi-la em duas: a depressão no linguajar leigo e a do ponto de vista técnico da psiquiatria. 

No linguajar leigo, esta muito conectado a tristeza e desanimo, o que muitas vezes não e depressão. Os sintomas depressivos, como isolamento, perda de vontade, distanciamento social, falta de energia, tristeza e preocupação podem estar presentes em alguns momentos da vida sem que isso se relacione ao diagnostico de depressão, especialmente se forem transitórios e auto limitados. 

Já do ponto de vista técnico, a depressão é um quadro psiquiátrico marcado pela tristeza, falta de vontade, desânimo, alterações do sono e apetite, lentificação dos movimentos e velocidade de raciocínio, a ponto de a pessoa ter ou perceber um declínio da inteligência. Sensação de futuro sombrio e a falta de esperança, também é um sintoma comum. Nesses casos, mesmo que a pessoa se esforce para melhorar, não consegue. Isso pode trazer diversas consequências para a vida do paciente acometido, como dificuldade em permanecer no trabalho e se relacionar, por exemplo. 

PRINCIPAIS SINTOMAS DE DEPRESSÃO 
  • Sentimento de tristeza;

  • Choro fácil;

  • Perda de interesse em coisas que antes gostava;

  • Distúrbios no sono;

  • Alterações no apetite;

  • Cuidados e asseio pessoais podem ficar comprometidos, como parar de tomar banho, não se maquiar e não se preocupar com vaidade;

  • Pensamentos de ruína, sem esperança de melhora.

Depressão.jpg

BIPOLARIDADE

O transtorno bipolar (CID 10 - F31) é um transtorno psiquiátrico que provoca alterações no comportamento e leva uma pessoa a oscilar entre momentos de euforia e depressão repentinamente. As chamadas "oscilações de humor" significam alternâncias entre os chamados estados de mania, hipomania e depressão. A frequência é variada, assim como a intensidade do quadro que pode ser leve, moderada ou grave.

Existem diferentes tipos de transtorno bipolar e todos eles afetam os níveis de humor, energia e eficiência do indivíduo. Sendo assim é possível que a pessoa manifeste estados de humor extremamente enérgico ou muito tristes e sem energia.

Os episódios de alteração de humor podem acontecer em espaços de tempo variados - raramente ou várias vezes ao ano.

 

Ainda que o transtorno bipolar seja uma condição que não tem cura, é possível controlar as alterações de humor com medicamentos específicos e acompanhamento com tratamento psicoterápico.

Quando um paciente com transtorno bipolar está sem tratamento cada fase pode durar de três a seis meses, depois existe uma fase de normalidade que é variável e posteriormente uma fase de euforia que também pode durar de três a seis meses. Com tratamento adequado este período pode ser abreviado.

Causas

A causa exata do transtorno bipolar ainda é desconhecida, mas a ciência acredita que diversos fatores possam estar envolvidos nas oscilações de humor provocadas pela doença, como:

 

  • Fisiologia do cérebro;

  • Desequilíbrio entre os neurotransmissores;

  • Desequilíbrio hormonal;

  • Fatores genéticos;

  • Estresse;

  • Violência sexual e outras experiências traumáticas.

BIPOLAR.jpg

ESQUIZOFRENIA

O que é esquizofrenia?

A esquizofrenia é um transtorno mental grave que muda o modo como a pessoa pensa, sente e se comporta socialmente. Ou seja, essa desestruturação psíquica tem sintomas como alucinações, delírios, dificuldades no raciocínio e alterações no comportamento como indiferença afetiva e isolamento social.

Além disso, a pessoa com esse transtorno perde a noção da realidade e tem dificuldades de entender a diferença entre o imaginário e o que é real (isso é chamado de psicose). 

Por isso, as principais características desse transtorno é quando a pessoa ouve e vê coisas que, na verdade, não existem para mais ninguém.

Então, a esquizofrenia é um distúrbio psiquiátrico que envolve psicose crônica ou recorrente. Essa doença influencia no aspecto social e ocupacional. Nesse sentido, ela está entre as doenças médicas mais incapacitantes.

Aliás, ela é classificada pela OMS como uma das dez principais doenças que mais interferem na mortalidade e capacidade laboral do ser humano. Mas, vale lembrar também que a esquizofrenia tem tratamento e nada tem a ver com dupla personalidade. 

Portanto, com o diagnóstico feito e um tratamento certo, a pessoa pode viver com uma boa qualidade de vida.

Características da esquizofrenia

A esquizofrenia foi descoberta e conhecida como demência precoce pelo psiquiatra alemão Emil Kraepelin. Mas no século XX, ela recebeu esse nome graças ao psiquiatra suíço Eugen Bleuler.

Então, o termo “esquizofrenia” (que significa mente dividida, ou fragmentada) foi usado pela primeira vez em 1911 por Bleuler.

Ainda, segundo dados da OMS, a doença atinge homens e mulheres a partir do começo da vida adulta. Mais especificamente até o começo dos 20 anos em homens, e entre os 20 e 30 anos entre as mulheres. Os diagnósticos com menos de 10 anos e mais de 60 anos são muito raros.

Além disso, a esquizofrenia é considerada a terceira causa entre doenças que atrapalham a qualidade de vida de pessoas entre 15 e 44 anos. Isso porque, entre os mais jovens, essa doença é facilmente confundida com problemas mais comuns.

Assim, o problema da esquizofrenia é muito mais sério do que se pensa, pois não só degrada a saúde mental do indivíduo acometido, mas também é preciso lembrar que 50% dos pacientes com esquizofrenia tentam suicídio ao menos uma vez, 10-15% concretizam o ato.

ESQUIZOFRENIA.jpg
whats original.png
bottom of page